Início GERAL Dia das crianças: pais e mães viram freelancers para ficar mais tempo com os filhos
Dia das crianças: pais e mães viram freelancers para ficar mais tempo com os filhos

Dia das crianças: pais e mães viram freelancers para ficar mais tempo com os filhos

0
0

Segundo pesquisa realizada pela Workana, 46% das mães cuidam dos filhos enquanto trabalham e dos 40% de pais freelas, 85% são full-time

Trabalhar e cuidar dos filhos nem sempre é uma tarefa fácil para pais que passam mais da metade do dia fora de casa. Mulheres buscam alternativas para continuarem ativas na educação das crianças, e pais também para serem mais presentes. Uma das opções mais palpáveis e que vem crescendo bastante é a atividade freelance. De acordo com a Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, a modalidade cresceu 80% em 2017, e 40% dos freelancers cadastrados no Brasil têm filhos.

Uma pesquisa realizada pela Workana com mais de 1500 mulheres aponta que, dentre as que têm filhos (23%), 46% cuidam deles enquanto trabalham. A profissional Eliana Figueiredo, professora e redatora, atua como freelancer há cerca de quatro anos e conta que, ao engravidar, buscou adaptar sua vida profissional à nova fase. “Eu trabalhava em duas escolas e precisava desacelerar. Como decidi ficar apenas em uma, minha renda caiu bastante; então, considerei começar a trabalhar em casa com algo que eu gostasse, produção de conteúdo”, lembra. Ela divide as responsabilidades do filho com o marido e afirma que a atividade freelance a ajudou a ter autonomia sobre seus horários, ponto fundamental para poder se organizar e passar mais tempo com a família.

O cofundador da plataforma, Guillermo Bracciaforte, diz que essa busca por um trabalho mais flexível colabora para o crescimento da atividade e proporciona aos profissionais novas oportunidades, além de movimentar o mercado e levar para as empresas mais profissionais qualificados. Dentre as entrevistadas, cerca de 44% trabalham como freelancer em tempo integral, sem conciliar com outro emprego.

Outro profissional que também mudou de hábito é Alessandro Sales, de 33 anos, pai do Allan, de seis anos, que é Full Stack Developer e atua como freelancer há um ano. Ele conta que, hoje, fazendo home office em tempo integral, conseguiu uma estrutura para ter mais qualidade de vida e ficar mais tempo com a família. “Estou fazendo muitas coisas que não eram possíveis, como tomar café da manhã com minha família, ter intervalos com eles e nos horários que eu realizava trabalhos extras, agora eu tenho tempo para a família”, comenta Sales.

Segundo o levantamento da Workana, 10% dos pais contam com ajuda externa para cuidar dos filhos. Os demais cuidam por conta própria ou com a ajuda de seu cônjuge. Dentro desse parâmetro, de 40% dos pais freelancers, 85% são full-time.

“Cada vez mais temos pais que sentem a necessidade de cuidar dos filhos e dividir igualmente as tarefas com a mulher. Isso se alia à busca dos profissionais pela harmonia entre vida profissional e pessoal e tem um efeito muito positivo, já que um pai que participa mais em casa proporciona mais liberdade para que a mãe também siga com sua carreira profissional”, aponta Bracciaforte.

Por fim, Sales aponta que a mudança foi feita em família. “Antes de iniciar a jornada home office conversei com minha esposa para que ela me ajudasse a adaptar com a nova rotina, afinal, todos precisam compreender que eu estou em casa para trabalhar. Mas ao final do dia estou livre para estar com minha família e eles sentem essa diferença, hoje somos mais unidos”, explica o profissional.